Como eliminar Procrastinação
Parte 1

Tente se lembrar de quantas vezes você ficou triste com você mesmo por ter adiado alguma atitude importante! E, é bem possível que, na maioria delas, você, ou deixou pra lá, ou demorou tanto que teve algum tipo de perda maior. Desagradável, não é? Mas, além das conseqüências serem prejudiciais, você não tem idéia de quanta energia as pendências não resolvidas por negligência ou algum tipo de receio pode tirar de uma pessoa. Neste caso, em vez de usar esta energia para se concentrar e produzir bem no seu dia-a-dia, o indivíduo vê o seu rendimento baixando e nem sempre desconfia do por quê. A pendência mal resolvida funciona como um 'fantasma' e fica sinalizando, de tempos em tempos, que você não fez aquilo que precisava ter feito... Ela gera ansiedade, mal-humor, até depressão.

Então, se isto acontece com você, chegou a hora de acordar deste hábito, dar a volta por cima e passar a ser o que comanda a sua vida, em vez de ser dominado por certos motivos aparentemente tão sensatos e verdadeiros. Eles podem ser pura ilusão e costumam esconder receios e outros condicionamentos.

Então vamos às providências:

1º Passo - Cuidado! Não escape agora... Não páre de ler este artigo no meio, deixando pra depois.

2º Passo - Tendo passado esta tentação, vamos ao trabalho! Pegue papel e caneta para fazer um exercício.

3º Passo - Pare pra pensar e lembre-se: de qual decisão ou atitude você está "escapando" há um certo tempo? Fazer aquela pós? Ir ao médico? Desmanchar um relacionamento? Ligar para um cliente difícil? Responder aquele e-mail? Procurar um novo emprego? Fazer regime? Exercícios físicos regulares? Qual pendência está ficando continuamente para quando sobrar tempo? Seja sincero... Lembrou-se? Só vá para o próximo item ao obter uma resposta consciente. Escreva-a no papel.

4º Passo - Pense e escreva agora: quais são os motivos que você se dá para não tomar a atitude. Não se julgue. Por favor, nada de rótulos ou adjetivos a você mesmo. Isto não vai ajudá-lo. Se você tiver que escrever palavras como medo, preguiça, ou coisas do tipo, faça-o sem preconceito. Afinal, estas características são simplesmente humanas. Nesta fase, pode ocorrer um primeiro perigo: de você concluir que não pode agir porque tal ou tais pessoas o impedem. Isto é ilusão! A gente sempre pode resolver um problema pessoal sozinho, embora, às vezes, isto implique em perdas maiores. Então, experimente retirar os outros da frente e escreva seus motivos reais. O segundo perigo é você alegar que não tem tempo. Esta é uma resposta muito comum nestas circunstâncias, mas igualmente enganosa. Todos têm 24 hs por dia. A sabedoria está em administrar este tempo, de acordo com as prioridades. Então, talvez você não esteja dando a exata importância a este assunto. Então, experimente colocar este problema no primeiro lugar da sua lista. Sempre digo para quem costuma procrastinar, que as coisas chatas ou difíceis precisam ficar na frente da fila, para que sejam feitas logo. Isto gera um alívio! Além disto, você continua de bem com você, o que repercute positivamente na sua auto-estima.

5º Passo - Digamos que você tenha se dado um motivo para adiar, como por exemplo: Não tenho certeza se quero sair desta empresa. A partir daí, você encontra rapidamente um monte de outras idéias pra reforçar este motivo. Então, o que parece um bom motivo, pode ser apenas uma forma de auto-engano. Não se deixe enrolar. Marque uma hora na sua agenda para tratar deste assunto e seja comprometido com isto, pois é para o seu bem-estar.

6º Passo - Este é fundamental para começar a resolver a pendência. Na hora marcada, sente-se novamente com papel e caneta, num local onde não seja interrompido ou consiga se concentrar. Naturalmente, o exemplo usado aqui pode não caber no seu caso, mas aproveite as idéias centrais. Faça 4 colunas no papel e relacione as vantagens e desvantagens de uma decisão, no nosso exemplo seria ficar na empresa e os receios e possíveis vantagens da outra possível decisão, aqui no caso, sair. Examine seus motivos em profundidade.

O importante aqui é avançar no problema. Tomar algum tipo de decisão, nem que seja adiar a decisão de sair ou ficar, mas faça-o conscientemente, não com alguma desculpa esfarrapada para si mesmo. Pode ser inteligente adiar, se você notar que os dados são insuficientes para decidir. Sendo assim, faça um plano de como obterá mais informações e, desta forma, poder chegar à decisão que precisa. Fundamental é não permitir que o problema continue 'no seu pé'. Lembre-se: A chave de acabar com a procrastinação é você estar no comando.

Solicitamos a gentileza de, ao publicar este artigo, citar a fonte:
Autora: Dra. Elizabeth Zamerul Ally, médica psiquiatra, psicoterapeuta, especialista em Dependência Química e Codependência www.dependenciaecodependencia.com.br