Como é uma pessoa muito inteligente?

Simplificando, o maior sinal do alto nível de Inteligência de uma pessoa é a sua capacidade de usar o seu poder e recursos para se fazer feliz.

Inteligência x Felicidade

E o que é ser feliz? Felicidade ocorre em alguns momentos na vida, quando algo muito especial acontece? Isto não é coerente com o Poder Humano. Podemos muito mais! Uma pessoa é feliz quando sente que é coerente com os seus valores, fazendo bem a si mesma continuamente, sem prejudicar os outros. Suas motivações diárias são superação e evolução rumo à máxima realização que o seu potencial permite. Na prática, isto demonstra fé em si mesmo, autoconfiança e a crença de já ser bem-sucedido nos seus propósitos, mesmo antes dos resultados acontecerem. É inadequado dizer: fulano é inteligente e sicrano não. Todos têm enorme potencial de inteligência, em maior ou menor grau.

Algumas Características da Pessoa Inteligente

A pessoa muito inteligente costuma cultivar e desenvolver:

  1. Autoconhecimento, porque sabe que é um ser altamente complexo e que seu inconsciente é que dita a maior parte das suas crenças, comportamentos e resultados. Desta forma, conhecendo-se, pode corrigir hábitos inúteis e mudar o que for necessário para funcionar de acordo com o que lhe dá os resultados que deseja alcançar.

  2. Visão e Pensamento Sistêmicos, ou seja, enxerga com grande amplitude, percebe as conexões do sistema e sabe que tudo o que fizer, ou deixar de fazer, gera consequências para si mesma e para os outros. Isto melhora sua competência em tomar decisões e a resolução dos desafios cotidianos.

  3. Protagonismo, ou seja, responsabilidade pela própria vida e uso dos próprios recursos para a realização dos desejos. Por falta de autoconfiança, muitos tentam manipular o outro para alcançar seus objetivos, mas este é um jeito cada vez menos funcional, pois as pessoas estão cada vez mais atentas e se recusam a se submeter. O protagonista não explora pessoas para atingir suas metas. Ele faz acontecer através do seu poder pessoal.

  4. Inteligência emocional – ou seja, ser capaz de gerenciar as próprias emoções, especialmente das negativas como raiva, medo, tristeza, frustração e outras e também lidar com estas emoções de outras pessoas, através da aceitação. Assim, quanto mais inteligente, mais a pessoa vive em paz. Muitos imaginam que paz seja um estado insosso, de marasmo e sem prazer. Que ilusão! A ausência de conflitos e da tortura psicológica, no estado da paz, abre espaço para outra voz, a da criatividade que gera intensa atividade e produtividade. Isto amplia e expande as possibilidades do indivíduo rumo ao sucesso que ele quer ter.

  5. Ética, com respeito incondicional pelos outros. Desta forma, esta pessoa entende que a interdependência é a estratégia mais produtiva, colocada à disposição de todos, ou seja, a percepção de que ela pode ajudar e ser ajudada sempre que preciso para gerar prosperidade para todos. Isto significa compartilhar suas melhores competências com base na boa vontade e no equilíbrio harmônico entre dar e receber.

  6. Controle sobre a própria vida. Um indivíduo que vive ao acaso, na superficialidade, levado pelos fatos e circunstâncias, à mercê da sua mente (que oscila entre milhares de pensamentos durante um mesmo dia) e crenças alheias, sente-se inseguro e, muitas vezes, perdido diante dos desafios da vida. O desenvolvimento do seu potencial inclui o controle da própria mente, de como interpreta e reage às situações externas e no aperfeiçoamento do seu processo decisório.

Vale lembrar que inteligência pode ser desenvolvida. Portanto, mais do que checar o nível do Q.I., o importante é atuar de modo a conhecer, ampliar e otimizar o uso dos recursos internos e externos para a máxima realização na vida.

Solicitamos a gentileza de, ao publicar este artigo, citar a fonte:
Autora: Dra. Elizabeth Zamerul Ally, médica psiquiatra, psicoterapeuta, especialista em Dependência Química e Codependência www.dependenciaecodependencia.com.br